O implante dentário é formado por um suporte ou uma estrutura de metal que é posicionada abaixo da gengiva no osso maxilar, por meio de cirurgia, no intuito de substituir as raízes dentárias. Sendo assim, o dentista é capaz de colocar os dentes substitutos sobre eles.

Muitas pessoas possuem o desejo de colocar uma prótese sobre implante, pois não se sentem confortáveis com o sorriso. É uma ótima opção para melhorar a autoestima e aumentar a qualidade de vida, já que os implantes dentários permitem que o paciente faça as funções comuns, como mastigação e fala.

Há profissionais qualificados que realizam a instalação de implantes no país inteiro. Você pode encontrar um bom dentista em São Paulo, Rio de Janeiro e em outras cidades brasileiras. Mas primeiro, descubra agora alguns pontos importantes sobre esse tratamento. Confira!dentista em São Paulodentista em São Paulo 

1.   Implante e prótese não são a mesma coisa

Como dito anteriormente, quando falamos em implante dentário, nos referimos à peça de titânio que substitui a raiz do dente perdido. Já a prótese dentária é a parte conectada ao implante, constituída em porcelana. Ela substitui a coroa do dente, ou seja, a restituição completa se dá a partir da inserção do implante junto à prótese.

2.   É necessário tempo para o implante dentário se integrar ao osso

Um implante dentário não é igual a um parafuso comum, uma vez que a integração do osso maxilar ao implante demanda tempo, processo que é chamado de osseointegração, em que as células ósseas se integram quimicamente à superfície do implante colocado.

O tempo para que isso ocorra varia de acordo com a qualidade óssea do paciente e do tipo de implante dental. O processo dura mais de 6 meses para se completar, a partir do momento de instalação, entretanto, isso não impede que a prótese sobre implante seja inserida antes.

3.   É mais favorável colocar o implante logo após a retirada da raiz dentária

É indicado que o implante seja instalado logo após a remoção da raiz dentária, isso porque, quanto maior for o tempo entre um procedimento e outro, maior é a chance da necessidade de técnicas de reconstrução da gengiva ou do osso ao redor do implante. Portanto, é interessante que tudo isso seja realizado de forma conjunta.

4.    Implantes nacionais X implantes importados

Para quem acredita que os implantes dentários nacionais não são seguros, está enganado. A questão é que os implantes importados são mais fáceis de instalar pelo dentista e permitem que a prótese dentária seja colocada em período menor a partir da instalação dos implantes. Entretanto, isso não significa que as peças nacionais sejam ineficientes, pelo contrário, a longo prazo eles funcionam tão bem quanto implantes importados, não apresentando risco ao paciente, permitindo a instalação de prótese sobre implante.

5.   Há possibilidade de doenças em quem possui implante dentário

O uso de implante dentário não inibe a chance de doenças bucais. Sendo assim, má higiene pode ocasionar acúmulo de placa bacteriana, o que em alguns casos se desenvolve para a periimplantite, que é uma inflamação no osso ao redor do implante e que lhe dá suporte. Ela pode causar a perda do implante e ainda dificultar a instalação de um novo, por isso é importante continuar com os cuidados diários em relação à saúde bucal.

6.    Não há risco de rejeição biológica do implante

A clínica dentista trabalha com implantes confeccionados com titânio inerte. Isso significa que o organismo humano não irá provocar nenhum tipo de rejeição quanto à instalação do implante, já que materiais quimicamente inertes são 100% compatíveis com o corpo humano.

Caso haja falhas na osseointegração, saiba que elas são referentes a outros motivos, tais como: infecções no osso, escolha incorreta do modelo de implante, entre outros. Entretanto, os casos representam somente 10% de todas as instalações de implantes dentários.

7.    Não existe limite de idade para se colocar implantes

Fato. Pessoas com idade avançada podem se beneficiar com esse tratamento, uma vez que respondem bem às técnicas de osseointegração e cicatrização dos implantes dentários após a instalação. Até porque, os idosos são o principal público quanto ao procedimento, já que em muitos casos, eles buscam substituir dentaduras ou próteses parciais por implantes completos.

8.    Pode haver necessidade de enxerto ósseo ou de gengiva

Caso o paciente não possua a quantidade necessária de osso ou de gengiva, tanto em largura ou em altura, talvez seja preciso recorrer a um enxerto. A falta do osso ou da gengiva pode provocar acúmulo de alimento junto às próteses. Com o enxerto, há possibilidade de reconstrução estética da melhor forma possível, evitando futuros problemas quanto ao implante.

9.    Prótese de porcelana pura

Com o avanço das técnicas, já é possível conectar próteses dentárias feitas totalmente de porcelana aos implantes, sem o uso de estruturas metálicas. Um grande passo em relação à instalação de implantes dentários.

10.                     O custo não é alto

Pensando em relação às vantagens do tratamento, pode-se considerar que colocar implantes dentários não é um investimento caro. O dispositivo pode durar em torno de 30 anos, atuando em máxima função. Existem hoje no mercado implantes de diferentes tipos e preços, entretanto, o que conta mais é a experiência e qualidade do serviço do profissional, o que interfere diretamente no resultado final do tratamento.